Picos(PI), 02 de Julho de 2022
Picos(PI), 02 de Julho de 2022

Saúde
...
Noites mal dormidas podem gerar problemas de gordura e no coração
Postado em 03/05/2022 por Redação
Estudos realizados por pesquisadores do Mayo Clinic nos Estados Unidos, apontam que uma noite de sono ruim aumenta a gordura associada a doenças cardiovasculares.
Tamanho da fonte A A
Noites mal dormidas prejudicam o coração
Foto: Reprodução/cemerj

Estudos realizados por pesquisadores do Mayo Clinic nos Estados Unidos, apontam que uma noite de sono ruim aumenta a gordura associada a doenças cardiovasculares. A pesquisa publicada na revista científica Journal of the American College of Cardiology, identificou que a falta de um sono reparador provoca um aumento de 9% na área total da gordura abdominal e de 11% na gordura visceral.

“Isso sugere que o sono inadequado é um gatilho previamente não reconhecido para a deposição de gordura visceral, e que o sono de recuperação, pelo menos a curto prazo, não reverte esse acúmulo da gordura!", diz Virend Somers, professor de medicina cardiovascular do Mayo Clinic e um dos principais autores da pesquisa. “A longo prazo, essas descobertas sugerem que o sono inadequado contribui para as epidemias de obesidade, doenças cardiovasculares e metabólicas”, afirma, em relação ao acúmulo de gordura visceral, que ocorrem entre os órgãos internos do abdômen e é diretamente associado ao desenvolvimento de doenças cardiovasculares.

Turnos de trabalho, aparelhos eletrônicos, redes sociais e problemas de sono adquiridos por fatores estressantes da pandemia (Covid-19), são os principais fatores apontados por pesquisadores que desencadeiam a redução das horas de sono dos indivíduos. 

“Nossos achados mostram que o sono encurtado, mesmo em indivíduos jovens, saudáveis e relativamente magros, está associado a um aumento na ingestão de calorias, o que proporciona um aumento pequeno no peso, mas um aumento significativo no acúmulo de gordura dentro da barriga”, aponta Somers.

O estudo foi feito com 12 pessoas saudáveis, divididos em grupos, que passaram por dois períodos de análise de 21 dias. Uma parte dos voluntários dormiram em torno de 4 horas e a outra parte dormiram normalmente com 9 horas de sono. Nesse período os cientistas observaram o consumo de energia, gasto energético, peso corporal, composição do corpo, distribuição de gordura (incluindo a visceral) e biomarcadores de apetite.

Durante o tempo de sono restrito, também concluíram que as pessoas consumiram 13% mais proteína e 17% mais alimentos gordurosos, em média.

Fonte: R7

Comentários

Nenhum comentario realizado para esta materia
Não foi localizado registro para esta categoria!
 
  • Diretor Proprietário
    Edson de Sousa Costa
  • Repórteres
    Edson Costa
    Paula Monise
  • Revisão
    Equipe
  • Departamento Comercial
    Edson Costa
  • Folhaatual.com.br - Rua Coelho Rodrigues, 403 - 2º Andar - Centro - Picos - Piauí - Fone: (89) 3422-6652
  • Diretor Proprietário
    Edson de Sousa Costa
  • Repórteres
    Edson Costa
    Paula Monise
  • Revisão
    Equipe
  • Departamento Comercial
    Edson Costa
  • Folhaatual.com.br - Rua Coelho Rodrigues, 403 - 2º Andar - Centro - Picos - Piauí - Fone: (89) 3422-6652